terça-feira, 10 de abril de 2018

Agenda Cultural das Periferias na Rádio Heliópolis

Se ligaí! 

Nesta terça (10), às 16h, tem Agenda Cultural das Periferias na Rádio Comunitária Heliópolis FM

Tem dica cultural gratuita (sarau, lançamento de livros e discos, bate-papo e cursos, apresentações de teatro, dança, música)? 

Madaí e ouça: www.radioheliopolisfm.com.br ou sintonize 87,5 FM!

quarta-feira, 4 de abril de 2018

terça-feira, 3 de abril de 2018

Lurdez da Luz é a convidada de hoje da Agenda Cultural das Periferias na Rádio Heliópolis

Se ligaí! 

Nesta terça (3), às 16h, recebo no programa Agenda Cultural das Periferias a rapper, cantora e compositora LURDEZ DA LUZ  para um bate papo sobre seu novo disco "Acrux". 

Tem dica cultural gratuita (sarau, lançamento de livros e discos, bate-papo e cursos, apresentações de teatro, dança, música)? 

Madaí e ouça a Rádio Comunitária Heliópolis: www.radioheliopolisfm.com.br ou sintonize 87,5 FM! 

terça-feira, 27 de março de 2018

Em SP, "Ritmo e Poesia: produção cultural nas periferias de São Paulo" é tema de bate-papo

Se ligaí! 

Ritmo e Poesia: produção cultural nas periferias de São Paulo (clique!) é um encontro entremeado de demonstrações de trechos de músicas que favoreçam a compreensão sobre a história do funk, do rap, da poesia e sua presença na cena sociocultural juvenil nas periferias das metrópoles.

O debate-papo propõe ser um diálogo poético aberto para a troca de ideias e convivências para todas as idades.

O encontro vai acontecer nesta quarta, dia 28, às 18h, na área de convivência do Sesc 24 de Maio, República, centro de SP.

Confirme presença, compartilhe, convide amig@s e participe!

Ouçaí, Agenda Cultural das Periferias na Rádio Comunitária Heliópolis

Se ligaí! 
Nesta terça (27), às 16h, apresento o programa Agenda Cultural das Periferias na Rádio Comunitária Heliópolis FM
Tem dica cultural gratuita (sarau, lançamento de livros, bate-papo, apresentações de teatro, dança, música)? Madaí e ouça pela internet: www.radioheliopolisfm.com.br ou sintonize 87,5 FM!

terça-feira, 20 de março de 2018

Ouçaí, Agenda Cultural das Periferias na Rádio Comunitária Heliópolis


Se ligaí! 

Nesta terça (20), às 16h, apresento o programa Agenda Cultural das Periferias na Rádio Comunitária Heliópolis FM
Tem dica cultural gratuita (sarau, lançamento de livros, bate-papo, apresentações de teatro, dança, música)? 
Madaí e ouça pela internet: www.radioheliopolisfm.com.br ou sintonize 87,5 FM!

quinta-feira, 15 de março de 2018

Em SP, Mostra de Literatura Negra terá feira de livros com editoras especializadas e discotecagem


A Ciclo Contínuo Editorial realizará a Mostra de Literatura Negra em São Paulo entre os dias 16 e 18 de março. 

O evento contará com uma homenagem à Francisco Paula Brito, editor, jornalista e escritor brasileiro nascido e falecido no Rio de Janeiro, onde viveu de 1809 a 1861. 

Durante os três dias ocorrerão mesas de debate e oficinas com destacada(o)s pesquisadora(e)s e escritora(e)s ligada(o)s à Literatura Negro Brasileira, que abordarão as múltiplas formas de expressão desta vertente que se firma na Literatura Brasileira.
 
No corredor da Galeria Olido será montado a feira de livros com as principais editoras Negras brasileira e a discotecagem com o pesquisador musical e DJ Ruivo Lopes.  

Confira a programação completa AQUI!

Curadoria: Marciano Ventura
Equipe Produção: Leonardo Bento, Luciana Barrozo, Clodoaldo Paiva, Silvio Shina, Romulo dos Santos
Comunicação: Alma Preta

Essa atividade conta com o patrocínio do Programa Vai/SMC. Parceria e apoio: Centro Cultural Olido/Secretaria Municipal de Cultura - São Paulo | Alma Preta | Sá Menina | Clube Negrita de Leitura/Malokearô

Em SP, Mostra homenageia Paula Brito com programação dedicada à Literatura Negra

A Ciclo Contínuo Editorial realizará a Mostra de Literatura Negra em São Paulo entre os dias 16 e 18 de março. 
O evento contará com uma homenagem à Francisco Paula Brito, editor, jornalista e escritor brasileiro nascido e falecido no Rio de Janeiro, onde viveu de 1809 a 1861. 
Tido como o primeiro editor brasileiro e primeiro empresário negro de que temos notícia, sua tipografia e livraria, na qual Machado de Assis trabalhou, foi ponto de encontro dos principais intelectuais da época. Foi descobridor de vários talentos, entre eles o próprio Machado, Teixeira e Souza e etc. Paula Brito fundou cinco jornais, entre eles, 'O Homem de Cor' (1833), alterado posteriormente para 'O Mulato ou O Homem de Cor' (na Tipografia Fluminense de Brito & Cia), periódico que alcançou 80 números em 3 anos, dedicado a luta contra o preconceito de raça. Na literatura se destacou como poeta, tradutor e contista.

Durante os três dias ocorrerão mesas de debate e oficinas com destacada(o)s pesquisadora(e)s e escritora(e)s ligada(o)s à Literatura Negro Brasileira, que abordarão as múltiplas formas de expressão desta vertente que se firma na Literatura Brasileira.

Entre os temas de discussão estão: “O Editor Paula Brito”, “A escritura e a poética negra na Literatura Brasileira”, As dimensões didáticas da Literatura Negra para a infância e juventude”, Texto e Imagem - uma conversa sobre ilustração e literatura e mesa sobre a escritora Carolina Maria de Jesus.

No corredor da Galeria Olido será montado a feira de livros com as principais editoras Negras brasileiras. Em breve divulgaremos a lista das editoras confirmadas.

Essa atividade conta com o patrocínio do Programa Vai/SMC. Parceria e apoio: Centro Cultural Olido/Secretaria Municipal de Cultura - São Paulo | Alma Preta | Sá Menina | Clube Negrita de Leitura/Malokearô

Curadoria: Marciano Ventura
Equipe Produção:
Leonardo Bento
Luciana Barrozo
Clodoaldo Paiva
Silvio Shina
Romulo dos Santos
Comunicação: Alma Preta

PROGRAMAÇÃO

SEXTA - FEIRA
16h - Abertura da Feira de Livros - Corredor da Galeria Olido
19h - Conferência - O Editor Paula Brito: uma história de resistência para novas gerações, com Oswaldo de Camargo
21h - Entrega do prêmio Concurso Nacional de Contos Ciclo Contínuo.

SÁBADO
10h - Mesa: A escritura e a poética Negra na Literatura Brasileira
Debatedor: Prof. Dr. Luis Silva (Cuti) (SP)
Debatedora: Profa. Dra. Livia Natália (BA)
Mediadora: Luciana Barrozo

13h30 - Clube Negrita de Leitura convida: Texto e Imagem - uma conversa sobre ilustração, design e literatura.
Debatedores: Edson Ikê, Junião, Silvana Martins, Mediadora: Brunata Mires - Clube Negrita de Leitura

16h - Dimensões didáticas da Literatura Negra para a infância e juventude
Debatedora: Prof. Dra. Heloisa Pires Lima (SP)
Debatedor: Prof. Dr. Fausto Antonio (BA)
Mediador: Leonardo Bento

18h15 - Lançamento do livros:
AS FÉRIAS FANTÁSTICAS DE LILI - LÍVIA NATÁLIA
NO REINO DA CARAPINHA - FAUSTO ANTONIO
O BEABÁ DO BERIMBAU - MARCIO FOLHA (reedição)

19h - Apresentação musical: PELAMÔ, COM AKINS KINTÊ

DOMINGO
10h - Oficina: Família leitora - mediação de leitura para formação de leitores, com: Leonardo Bento e Luciana Barrozo

13h30 - Leitura do Portfólio fotográfico de Antonio Terra (RJ); Workshop com o fotógrafo

16h - Carolina Maria de Jesus, desatando alguns nós!
Debatedora: Doutoranda Fernanda Rodrigues de Miranda
Debatedora: Prof. Dra. Raffaella Fernandez
Mediador: Marciano Ventura

18h - Lançamento do livro
MEU SONHO É ESCREVER - CONTOS INÉDITOS E OUTROS ESCRITOS - CAROLINA MARIA DE JESUS

19h - Encerramento
RENATO GAMA E AS PASTORAS DO ROSÁRIO CANTAM CAROLINA!

Confirme presença AQUI!

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Quem tem medo da verdade?

Não há nada que seja ruim que não possa piorar. É o caso da chamada intervenção federal na segurança público no Rio de Janeiro a mando do governo Temer, o mais impopular e ilegítimo governo desde a redemocratização do país, já aprovada pela Câmara e a espera de aprovação do Senado. 

O rito é apenas pró-forma numa democracia cada dia mais fragilizada, uma vez que as forças armadas já estão nas ruas do Rio. Não exatamente nas ruas, mas sim nas favelas cariocas, alvos das operações realizadas. 

Não há democracia que sobreviva com uma sociedade com medo, seja ele real ou fabricado. Caso contrário, esta mesma sociedade repudiaria com veemência o pedido do comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, em reunião do Conselho da República (19), para que fosse necessário dar aos militares "garantia para agir sem o risco de surgir uma nova Comissão da Verdade" no futuro. 

A Comissão da Verdade foi criada durante o governo Dilma para investigar crimes de tortura, execução, desaparecimento de pessoas e outras violações de direitos humanos cometidas durante a ditadura militar. 

É de suspeitar o que tem a temer o general Villas Bôas com uma nova Comissão da Verdade para investigar atos cometidos durante a intervenção federal no Rio!

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

No Parque Bristol, Perifatividade oferece cursos populares gratuitos em Círculo de Cultura


Se ligaí! 

A partir desta segunda (19), o Coletivo Perifatividade abre inscrições gratuitas para as novas turmas dos cursos gratuitos de Jornalismo Comunitário; Dança do Ventre; Defesa Pessoal; Direitos Humanos, Cultura e Educação; Espanhol; Grafite; Inglês e MC (Mestre de Cerimônias para Rap e Funk). 

As inscrições podem ser feitas diretamente no Circulo de Cultura Perifatividade, das 9h às 18h, na Rua Dr. Benedito Tolosa, nº 729, Parque Bristol, zona sul de SP. 

Inscreva-se, convide amig@s e compartilhe!

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Literatura e Direitos Humanos na 3ª FLICT - Festa Literária de Cidade Tiradentes


Se ligaí!

Aconteceu na última quarta (27), no Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes, o diálogo sobre práticas de mediações de leituras durante a 3ª FLICT Festa Literária de Cidade Tiradentes. Fiz uma abordagem sobre experiências literárias na defesa dos direitos humanos para uma turma de educador@s e estudantes de escolas públicas da região.

domingo, 10 de setembro de 2017

DJs Ruivo Lopes, Nat Jakovac e KL Jay na 1ª Feira de Discos Sub Shuffle


Se ligaí! 

Contagem regressiva para a 1ª Feira de Discos - Sub Shuffle no dia 17, domingo, a partir das 11h, no Shuffle Bar, Rua Ana Cintra nª 132, Campos Elíseos, região central de SP, travessa da Avenida São João, ao lado do metrô Santa Cecília. 

A Feira terá entrada franca e reunirá os principais vendedores de discos de vinil de SP e um acervo seleto em todos os estilos. 

O Shuffle Bar tem ótimas opções vegetarianas e veganas para você comer e beber. 

A discotecagem ficará por conta de Ruivo Lopes (Ritmo & Poesia - Discos e Livros), Nat Jakovac (Rap Hour) e KL Jay (Racionais MC's). 

Curta e participe!

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Agenda Cultural da Periferia na Rádio Heliópolis recebe Milton Sales

Sintonizaí! 

Nesta terça (5), às 16h, a Agenda Cultural da Periferia na Rádio Comunitária Heliópolis FM recebe o ativista e mais importante produtor do RAP & Hip Hop Nacional Milton Sales.

Tem dica cultural gratuita (sarau, lançamento de livros, bate-papo, apresentações de teatro, dança, música, etc.)? Madaí nesta mesma postagem (o link da atividade ou data, hora e local detalhados), curta, compartilhe e ouça pela internet: www.radioheliopolisfm.com.br ou 87,5 FM nas imediações da comunidade e concorra a discos e livros!

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Seminário em SP aborda o encarceramento em massa e pede a liberdade de Rafael Braga


Se ligaí!

Continua nesta quinta (31) e segue até sexta (1º) o Seminário Quebrando As Grades: Pela Liberdade De Rafael Braga, na Rua Antônio de Godói, nº 88, ao lado do Paissandu/Santa Ifigênia, centro de SP. Nesta quinta, Ruivo Lopes & Pânico Brutal apresentam o projeto Ritmo e Poesia.

Confira a programação abaixo e participe:

Quinta, 31 de agosto

Mesa 1 - A Justiça como instrumento de controle da Classe trabalhadora
Palestrantes: Alberto Alonso , Mauricio Stegemann Dieterr, Carlos E. Martisn (IDDH- advogado de Rafael Braga)

Intervenção Cultural: 13:30min Ruivo Lopes poeta e artista dos direitos humanos. e Grupo de Rap Pânico Brutal rap nacional.

Mesa 2, 14h - Encarceramento, Genocidio/Feminicidio e Eugenia
Palestrantes: Weber Lopes, Silvio Almeida, GCCRIMDH - IBCCRIM

Sexta, 1º de setembro

Mesa 1: Encarceramento Hoje
Palestrantes: Isabela Miranda, Paula Sacchetta e Giva Manoel. Mediação Ruivo Lopes.

Mesa 2: Libertem Rafael e tod@s outr@s!
Com Amparar, Mães de Maio,Brigadas Populares, Coletivo Herzer, Pastoral carcerária, Campanha pela Liberdade de Rafael Braga RJ

Mesa 3: Lançamento do Livro(Quebrando as grades:Liberdade Incondicional)
Edição: AMPARAR, TRIBUNAL POPULAR, Fundo Brasil de Direitos Humanos e Sefras

Em SP, Saraus e Slams ocupam Casa das Rosas


Se ligaí!

Acontece nesta quinta, dia 31, às 19h, na Casa das Rosas (Av. Paulista, nº 37, próximo a estação Brigadeiro do Metrô), um diálogo com o público interessado em literatura, poesia falada, saraus e slams.

A cena literária marcada pela oralidade pública que há mais de uma década ocupa as periferias de São Paulo, descentralizando a cultura na maior cidade latino-americana.

Participam do encontro Emerson Alcalde (poeta, multi-artista e organizador do Slam da Guilhermina, zona leste de SP) e Raquel Almeida (poetisa e organizadora do Sarau Elo da Corrente, zona oeste de SP). A mediação ficará por conta do educador Ruivo Lopes (poeta e integrando do Coletivo Perifatividade, zona sul de SP).

Este encontro faz parte da programação do Estéticas das Periferias 2017. Compartilhe, convide amig@s e participe!

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Agenda Cultural da Periferia na Rádio Heliópolis convida o rapper Vinão Alobrasil


Sintonizaí! 

Daqui a pouco, às 16h, tem Agenda Cultural da Periferia na Rádio Comunitária Heliópolis FM.

Hoje, entrevisto ao vivo o rapper Vinão Alobrasil para apresentar em primeira mão seu novo disco "Vida". 

Tem dica cultural gratuita (sarau, lançamento de livros, bate-papo, apresentações de teatro, dança, música, etc.)? Madaí nesta mesma postagem (o link da atividade ou data, hora e local detalhados), ouça pela internet: www.radioheliopolisfm.com.br ou 87,5 FM nas imediações da comunidade e concorra a um disco autografado pelo rapper! 

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Mostra cultural debate Educação e Direitos Humanos nas Periferias de SP



Se ligaí

Em agosto, o Coletivo Perifatividade completa 7 anos de atuação no Fundão do Ipiranga. Para comemorar, preparamos uma programação especial para a 1ª Mostra Cultural Perifatividade 7 anos de Luta! 

Encerrando a série de cinco encontros, nesta sexta (25), às 19h, "Caminho novo: a recostrução de uma luta por Cultura, Educação e Direitos Humanos", reunirá no Círculo de Cultura Perifatividade Francisca Rodrigues (Instituto Paulo Freire), Valdênia Aparecida Paulino Lanfranchi (Cdhs/Cedeca Sapopemba) e Elaine Mineiro (Movimento Cultural das Periferias). 

No sábado, dia 26, o Sarau Perifatividade e Estéticas das Periferias 2017 convidam para a comemoração dos 7 anos do Coletivo. 

No domingo, 27, um cortejo poético com congada e samba tomarão as ruas do Parque Bristol, zona sul de SP. 

Confira a programação completa, confirme presença, compartilhe, convide @s amig@s e fique muito a vontade: https://goo.gl/fgpkUv!

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Agenda Cultural da Periferia na Rádio Heliópolis

Sintonizaí! 

Daqui a pouco, às 16h, tem Agenda Cultural da Periferia na Rádio Comunitária Heliópolis FM. 

Tem dica cultural gratuita (sarau, lançamento de livros, bate-papo, apresentações de teatro, dança, música, etc.)? Madaí nesta mesma postagem (o link da atividade ou data, hora e local detalhados) e ouça pela internet: www.radioheliopolisfm.com.br ou 87,5 FM nas imediações da comunidade! 

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Em SP, ato político-cultural marca o Dia Internacional de Combate à Tortura




JORNADA DE LUTA CONTRA A TORTURA

Dia 26 de Junho, às 16h, nas escadarias da Catedral da Sé, Praça da Sé, centro de São Paulo

Estamos atravessando um período sombrio, em que o governo oriundo de um golpe parlamentar tenta fazer passar medidas regressivas que cortam direitos conquistados arduamente pela classe trabalhadora, alguns estabelecidos desde a década de 1940, resultado das lutas sociais iniciadas no começo do século XX.  Este governo utiliza-se de uma base parlamentar corrupta, comprada com cargos e favores, exatamente na mesma tradição dos anteriores que criticava. 

Desde a última ditadura civil-militar a frágil democracia brasileira não foi suficiente para superar os males de origem do país como o genocídio dos povos indígenas e a perseguição e o controle dos pobres das periferias, especialmente negros, trabalhadores precarizados, desempregados e sem renda formal. 

O Judiciário brasileiro tem sido a mão de ferro do encarceramento em massa. Enquanto o Brasil já soma mais de 14 milhões de desempregados, há 700 mil pessoas presas no país, um vergonhoso terceiro lugar depois dos Estados Unidos e da China. O número de mulheres presas pobres e negras só aumenta, sugerindo a "criminalização do gênero" pelo Judiciário. As unidades de privação de liberdade para adolescentes, como a Fundação Casa, estão superlotadas e a tortura é praticada como método de controle.
As chacinas e execuções sumárias de pessoas consideradas arbitrariamente como "suspeitos" continuam e a tortura permanece sendo o método sistemático das polícias para incriminar, montando provas forjadas, inclusive para criminalizar diversos movimentos e organizações sociais e populares que lutam contra este estado de mazelas. 

No contexto desse governo oriundo de um golpe parlamentar esses arbítrios perpetrados por policiais e autoridades ligadas à segurança pública multiplicam-se vertiginosamente. A indústria da “guerra às drogas” declarada pelo Estado só fez aumentar a prática da tortura, o encarceramento em massa e a execução sumária. Só para dar um exemplo, de 1º de janeiro deste ano até 5 de abril a polícia de São Paulo matou 247 pessoas. As chacinas de sem terras e de outros trabalhadores do campo aumentaram vertiginosamente. As audiências de custódia implementadas, que visavam fazer os juízes verificarem quais torturas, maus-tratos e arbitrariedades tinham sido cometidas no momento da prisão, não têm dado o resultado esperado porque a maioria dos juízes não interroga o preso de modo que ele possa denunciar o que sofreu até chegar a audiência. As bancadas da bala e medieval dos órgãos legislativos municipal, estadual e nacional incentivam o "linchamento" verbal das populações periféricas, LGBT, especialmente os segmentos travesti e transexual, e dos trabalhadores em geral, concorrendo assim para ampliar o sentimento de ódio contra os pobres. 

Defensores de direitos humanos precisam encarar esta realidade: a maioria dos juízes e dos policiais, bem como uma parte da população brasileira, entorpecida diariamente por programas televisivos que estimulam o medo social e a justiça com as próprias mãos apoiam a tortura como método de vingança. É um hábito secular herdado da colonização, aprimorado ao longo do período de escravidão e que se entranhou na mentalidade de parte significativa da população brasileira. Neste atual momento, em que o governo quer implementar medidas que empobrecerão ainda mais os mais pobres, o resultado será que mais pessoas se tornarão vulneráveis à perseguição e à brutalidade policial. Neste contexto, a tortura praticada pelos agentes do Estado torna-se uma perigosa arma de controle social e é o primeiro passo para acontecimentos dramáticos para os pobres, que são a execução sumária ou a prisão em massa.

Por isso, nós, movimentos e organizações sociais e populares, coletivos e grupos autônomos, ativistas culturais e artistas engajados, segmentos dos mais diversos, pessoas comprometidas com a defesa dos direitos humanos que reúne militantes de direitos humanos, ativistas políticos, sociais e pelas liberdades civis, ex-presos e perseguidos políticos, familiares de mortos pela ditadura civil-militar, familiares e vítimas da violência de estado praticada no período de frágil democracia, preocupados com a prática sistemática da tortura e da violência praticada por agentes do Estado, especialmente policiais, vimos exigir um basta de tortura neste 26 de Junho – Dia Internacional de Combate à Tortura! 

Exigimos que o governo Alckmin demonstre que não é conivente com a tortura e a violência dos agentes do Estado, instalando imediatamente a Comissão Estadual de Prevenção e Combate à Tortura em São Paulo, composta pela sociedade civil, com plenas condições de atuação efetiva, além de independência e autonomia, conforme previsto em lei! 

A tortura é incompatível com a democracia real que queremos.

Somente juntos podemos dar um basta à tortura! 

São Paulo, 26 de Junho de 2017.

Apoiam esta iniciativa:

ABRAPSO - Associação Brasileira de Psicologia Social - Regional São Paulo; ABRASBUCO - Associação Brasileira de Saúde Bucal Coletiva; ACAT – Ação dos Cristãos pela Abolição da Tortura; Associação Amparar; Associação da Parada do Orgulho LGBT de Campinas; Associação de Mulheres da Zona Leste; Associação Juízes para a Democracia; Blogueiras Negras; Centro de Cultura Social da Favela Vila Dalva; Centro de Direitos Humanos de Sapopemba; Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos; Centro Santo Dias de Direitos Humanos da Arquidiocese de SP; Cia. Kiwi de Teatro; Cia. Madeirite Rosa; Círculo de Experimentação Artística; Clínica do Testemunho do Instituto Sedes Sapientiae; COADE - Coletivo Advogados para Democracia; Coletiva Marãna; Coletivo Contra a Tortura; Coletivo DAR – Desentorpecendo a Razão; Coletivo de Esquerda Força Ativa; Coletivo Diversitas da Universidade de São Paulo; Coletivo Luana Barbosa; Coletivo Memória - Associação Paulista de Saúde Pública; Coletivo Perifatividade; Coletivo VivaCidade; Comissão da Memória e Verdade da Prefeitura de São Paulo; Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos; Comissão Justiça e Paz de São Paulo; Cordão da Mentira; CPV - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro; CRP SP - Conselho Regional de Psicologia de São Paulo; Escola de Cidadania Zona Oeste Butantã; Estúdio Gaya1; Fala Guerreira-Periferia Segue Sangrando; Filh@s & Net@s - SP DH, Memória, Verdade e Justiça; Fórum de Defesa da Vida; Fórum Municipal de Defesa dos Direitos Humanos de Campinas; Geledés - Instituto da Mulher Negra; Grudis – Em Defesa da Democracia; Grupo de Estudos Anarquistas de Araraquara; Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo; Instituto AMMA Psique e Negritude; Juventude e Resistência Negra Zona Sul; Kazungi - Bloco Afro Percussivo; Kilombagem; Kiwi – Companhia de Teatro; LEIA - Laboratório de Estudos Interdisciplinares e Analises Social da Universidade Federal de São Paulo; Levante Mulher; Marcha das Mulheres Negras de SP; Marcha Mundial das Mulheres; Margens Clínicas; MNU - Movimento Negro Unificado; MST - Movimento dos Trabalhadores/as Rurais Sem Terra; Observatório de Violências Policiais de São Paulo; Pânico Brutal; PLENU - Instituto Plena Cidadania; Projetos Terapêuticos; Promotoras Legais Populares de Piracicaba; Promotoras Legais Populares de Sorocaba; Rádio Madalena; Rastilho; Rede de Proteção e Resistência contra o genocídio; Revolta Popular; Samba Negras em Marcha; SOF – Sempreviva Organização Feminista; Tribunal Popular; UMMSP - União dos Movimentos de Moradia da Grande São Paulo; União de Mulheres de São Paulo.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Ação Educativa recebe exposição fotográfica "Opinião Pública Diret(a): pixação e política nas ruas das cidades"


Se ligaí! 

A exposição fotográfica "Opinião Pública Diret(a): pixação e política nas ruas das cidades", cerca de 50 registros feitos em mais de uma década em cidades do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro), Peru (Lima, Cusco), Bolívia (La Paz), Paraguai (Assunção), Argentina (Buenos Aires), ficará em cartaz na Ação Educativa #EspaçoPeriferianoCentro (Rua General Jardim, 660, Vila Buarque, região central de SP). A abertura é nesta sexta, dia 9, às 19h. Participe!

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Nada de novo em SP

Nada de novo... | O Portal G1 conversou com profissionais que conhecem e vivem o dia a dia das bibliotecas da cidade de São Paulo sobre cada proposta do programa [Biblioteca Viva da atual gestão municipal]. Todos afirmaram que, das nove propostas [wi-fi gratuito em todas as unidades; mapeamento do acervo; exposição de livros pela capa ao invés das lombadas; programação artística nas bibliotecas, como dança, teatro e música; reorganização do acervo; cursos de atualização para as equipes; apadrinhamento das bibliotecas por autores consagrados; saraus nas unidades; ampliação do horário de atendimento], sete já estão implantadas na capital paulista [em gestões anteriores]. Confira a reportagem na íntegra: https://goo.gl/vjqY0r!

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Hoje, em SP, Sarau da Ocupa por "Nenhuma ocupação a menos"

Se ligaí! 

Acontece hoje, quinta, dia 13, às 20h, o Sarau da Ocupa edição especial "Nenhuma ocupação a menos", na Ocupação São João, Avenida São João, nº 588 (próximo a Galeria Olido).

Não esqueça a sua letra, poesia, rima ou ideia.

Em noite de Sarau, um banquete de livros é servido e fica sempre a disposição.

Pode somar porque é tudo gente da gente, é tudo gente como a gente.

Participe, crianças são bem vindas e convide amig@s!

Exposição fotográfica de pichação política fica em cartaz na livraria Ugra Press em SP

Se ligaí! 

A exposição fotográfica "Opinião Pública Diret(a): pichação e política nas ruas da cidade" fica até sábado (15) na livraria Ugra Press (Rua Augusta, nº 1371, loja 116, região central de SP), especializada em publicações independentes. 

Confira!

Carolineando em prosa, versos e provérbios


Oficina "Carolineando em prosa, versos e provérbios" com Ruivo Lopes. 

A oficina promoveu uma prosa sobre a vida e a obra da escritora Carolina Maria de Jesus, destacando seus versos e provérbios. 

A partir da prosa, os participantes foram estimulados a criar seus próprios versos e provérbios para publicar em fanzines (publicações criativas e independentes). 

A oficina fez parte da programação do III Seminário Sementeiras de Direitos, organizado pelo Ibeac, e aconteceu em Parelheiros, zona sul de SP!

domingo, 5 de março de 2017

Em SP, fotógrafa feminista abre exposição "Mulheres livres: imagens insurgente"



Exposição Fotográfica Mulheres Livres: Imagens Insurgentes

A exposição fotográfica "Mulheres Livres: Imagens Insurgentes", que reuniu em 2015 o trabalho da fotógrafa feminista Elaine Campos, com registros desde 2010, estará novamente reunida, agora, na Passagem Literária da Consolação, especialmente no mês de março, Mês Internacional das Mulheres. A exposição reúne fotos que retratam a presença das mulheres à frente da cultura contra-hegemônica, nas lutas sociais e na arte. A exposição fotográfica será aberta na terça, dia 7 de março, às 19 horas. Entrada gratuita!

Exposição fotográfica "Mulheres Livres: Imagens Insurgentes", de Elaine Campos
Abertura: 7 de Março de 2017, às 19 horas
Visitação: 8 à 31 de Março de 2017
Segunda a sexta das 7h30 às 20h
Sábado: das 10h às 22h
Domingo: das 16h às 20h
Feriados: das 10h às 20h

Passagem Literária da Consolação
Rua da Consolação, altura do nº 2423 (esquina com a avenida Paulista), São Paulo
Entrada gratuita!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Em SP, escritora Cidinha da Silva lança novo livro de crônicas #PAREMDENOSMATAR


Se ligaí! 

Nesta sexta, dia 10, às 19h, no espaço Aparelha Luzia (Rua Apa, nº 78, Campos Elíseos, próximo a estação Santa Cecília do Metrô, região central de SP), a escritora Cidinha Da Silva volta a cidade para lançar seu mais novo e contundente livro de crônicas "#PAREMDENOSMARAT!" (Editora Ijumaa, 2016). 

Nas mais de 70 crônicas reunidas no livro, Cidinha passa a limpo o Brasil que insiste anular a humanidade de homens e mulheres negras, registrando com raro estilo e critica acontecimentos perversamente normalizados pelo racismo neste século XXI. 

Confirme presença, compartilhe e participe!

domingo, 5 de fevereiro de 2017

O faroeste paulistano de João Doria

Foto Ruivo Lopes, São Paulo, 2017.

Há pouco mais de um mês a frente da prefeitura de São Paulo, João Doria (PSDB) e seu secretariado, pertencente a uma fauna política que da sustentação ao tucanismo em São Paulo, tem promovido uma série de ações regressivas na cidade.

Assim que assumiu, Doria mostrou desprezo pela vida alheia ao aumentar a velocidade dos veículos nas marginais.

De gestor a populista, antecipou o carnaval e fantasiou-se de gari para promover um nebuloso programa chamado "Cidade Linda", varrendo, inclusive, a população em situação de rua da cidade.

Fez pior do que as pegadinhas de mau gosto dos programas de televisão dominicais ao se deslocar numa cadeira de rodas, fingindo ser cadeirante.

Disse que iria governar para os pobres, mas não saiu do Centro, ficando bem próximo do Jardim Europa, sugestivo nome do bairro rico da cidade onde o prefeito mora.

De prefeito a xerife, Doria quer ser uma espécie de John Wayne para São Paulo.

Numa grosseira resposta a uma jornalista da rádio CBN, o prefeito criminalizou os pichadores chamando-os de "bandidos" e sugerindo que mudassem de "profissão" ou de cidade.

A estratégia do prefeito é conhecida na História desde a publicação, em 1925, de "Mein Kampf" (Minha Luta), do líder nazista Adolf Hitler. Com significativa diferença, Hitler publicou o livro oito anos antes de chegar ao poder. O resto da história todas nós conhecemos.

De origem atrasada, assim como os que o acompanha, a perigosa estratégia do prefeito consiste em criar "os inimigos da cidade".

O alvo da vez - e não vai parar aí - são os pichadores e sua "arte degenerada".

Doria insiste em separá-los em categorias das quais nada entende, como grafiteiros e muralistas, e assim pretende dividi-los para cooptá-los em seguida.

Com ajuda do seu padrinho político, o governador Geraldo Alckmin, o prefeito pediu emprestado a ajuda da Secretaria de Segurança Pública que cedeu apoio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e da Polícia Militar para combater pichadores na cidade.

Percebe-se que o prefeito tem uma obsessão pelo cinza, inclusive o da farda da Polícia Militar.

Doria também pretende criar uma cidade-policial ao convocar munícipes para denunciar qualquer pessoa que esteja portando uma lata de spray na mão.

A cruzada de Doria contra os pichadores já rendeu mais de 40 pessoas detidas e pretende ainda processá-las criminalmente.

Se o prefeito continuar assim, e pelo histórico já conhecido das policias paulista, não vai demorar muito para policiais militares confundirem convenientemente spray com armas. Serão os famigerados "autos de pichação" ou o "pichação seguida de morte".

Portanto, as medidas de Doria contra pichadores podem ser mortais.

Em agosto de 2014, policiais militares assassinaram dois pichadores na Mooca, zona leste de São Paulo, depois de uma suposta denuncia de que havia dois homens tentando roubar um prédio na região.

Doria carece de ideias inovadoras para São Paulo, por isso anuncia medidas regressivas como novidades, como por exemplo, entregar para a iniciativa privada, igualmente fantasiadas de organizações sociais, equipamentos públicos municipais como o Centro Cultural São Paulo e a rede de bibliotecas da cidade.

Os eleitores paulistanos elegeram um político atrasado iludidos pela suposta eficiência do empresario que virou prefeito.

Reconheçamos, a meritocracia como ideologia das elites é contagiosa e cruza fronteiras sociais.

Não adianta chorar, pois não sobrará nem leite para derramar na cidade, já que Doria pretende cortar até o programa Leve Leite, que dá 2 quilos de leite em pó por mês para as famílias com alunos matriculados na rede municipal de educação.

Bem vindos ao Velho Oeste de João Doria!

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Culturas das periferias nas ondas da Rádio Heliópolis


Sintonizaí! 

Nesta terça (31), às 16h, tem Agenda Cultural da Periferia na Rádio Comunitária Heliópolis FM. Tem dica cultural gratuita (sarau, lançamento de livros, bate-papo, apresentações de teatro, dança, música)? Madaí nesta mesma postagem (o link da atividade ou data, hora e local detalhados) e ouça pela internet: www.radioheliopolisfm.com.br ou sintonize 87,5 FM nas imediações da comunidade!

domingo, 29 de janeiro de 2017

Em SP, exposição sobre pichação política foi prorrogada até fevereiro na Passagem Literária da Consolação


Se ligaí!

Uma ótima notícia para a cultura, a arte e a convivência democrática no espaço público urbano de São Paulo.

A exposição Opinião Pública Diret(a): pichação e política nas ruas das cidades, com mais de 40 fotografias que contam mais de uma década de registros de pichações políticas em cidades do Brasil e da América Latina, foi prorrogada até 28 de fevereiro na Passagem Literária da Consolação (esquina com a avenida Paulista).

Nenhuma das pichações fotografadas existe mais. Elas foram apagadas pelas decisões higienistas de governantes autoritários que pretendem deixar as cidades cinzas, mais frias e torná-las menos públicas para a maioria da população.

Do colorido das mensagens emitidas nos muros das cidades, sobrou apenas o registro fotográfico delas.

Faça uma visita, deixe sua mensagem, compartilhe e convide amig@s!

Exposição fotográfica "Opinião Pública Diret(a): pichação e política nas ruas das cidades"
Até 28 de fevereiro, nos horários: de segunda a sexta, das 7h30 às 20h; sábado, das 10h às 22h; domingo, das 16h às 20h; feriados, das 10h às 20h.
Passagem Literária da Consolação (esquina com a avenida Paulista), São Paulo.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

A periferia nas ondas da Rádio Heliópolis, especial "São Paulo 463 anos: as periferias no centro da cultura paulistana"

Bate papo com o poeta Costa Senna e jovens da Guatemala e República Dominicana no Bairro Educador UNAS Heliópolis.

Sintonizaí! 

Nesta terça (24), tem Agenda Cultural da Periferia na Rádio Comunitária Heliópolis FM, especial "São Paulo 463 anos: as periferias no centro da cultura paulistana". 

Tem dica cultural gratuita (sarau, lançamento de livros, bate-papo, apresentações de teatro, dança, música)? Madaí nesta mesma postagem (o link da atividade ou data, hora e local detalhados) e ouça pela internet: www.radioheliopolisfm.com.br ou sintonize 87,5 FM nas imediações da comunidade!